Vai construir ou vender pela Caixa Econômica Federal? Fique atento à essas dicas.

Construir pelos programas da caixa exige uma "obra perfeita".

Postado por Clóvis Júnior em 02 de Abril de 2017

A Caixa Econômica Federal auxilia toda a população que quer realizar o sonho de ter sua casa própria, programas como o "Minha Casa minha vida" vieram pra ficar e esperamos que não acabem tão cedo.

Sabemos no entanto, que a burocracia é bem alta (com razão pois são quantias altas de dinheiro envolvidas). Quanto à parte de engenharia, tentarei abordar o básico e tirar a maioria das dúvidas que os clientes que procuram o banco têm.

Se você vai solicitar fundos para a construção de um imóvel, é necessário contratar um engenheiro civil/arquiteto/engnheiro elétrico para que ele produza todos os projetos complementares necessários, são eles: Projeto arquitetônico, projeto hidrossanitário, projeto elétrico, projeto estrutural e orçamento.

Se o imóvel vai ser construído com seus fundos para venda ao cliente pelos programas da caixa, apenas o projeto arquitetônico é necessário, porém é recomendado que todos os projetos anteriores sejam feitos para dar melhor confiabilidade e adequação às normas técnicas brasileiras.

Imóveis já existentes também podem ser vendidos pelos programas. Em todos os casos, o imóvel precisa atender todas as normas técnicas vigentes para que se tenha segurança, confiabilidade e durabilidade da construção.

A que normas e o que deve ter no meu imóvel para ser vendido ou construído pela Caixa?

A caixa disponibiliza o COT (caderno de orientações técnicas) que pode ser visto AQUI. Porém esse caderno em termos de saber o que é certo, acaba ficando meio genérico, focando mais na avaliação do bem em si (saber o quanto vale).

Há também uma planilha com especificações mínimas bem esclarecedora sobre a maioria das dúvidas do construtor, CLIQUE AQUI PARA BAIXAR.

Vale ressaltar que essas fontes de informação não tem todas as exigências necessárias para a adequação ao programa, muitas vezes fica a critério do engenheiro e do avaliador, de acordo com as normas e leis municipais, seguir ou não certa especificação.

O mais recomendado é que se contrate um profissional desde a fase de planejamento da construção para que se tome todos os cuidados possíveis, evitando uma reprovação pelo avaliador da Caixa. Estou à disposição para dúvidas e contato profissional.

Modelo de quadro de distribuição recomendado de acordo com a NBR 5400 - Fácil acesso, identificação exterma, circuitos distintos para iluminação e tomadas de uso geral. Circuitos de tomadas de uso específico também devem ser separados, tais como as tomadas da cozinha e chuveiros elétricos. No mínimo 4 circuitos distintos são exigidos.

Fonte: Caixa. Fotografias extraídas do Google.